Clique na Imagem

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Fotos alusivas a actividades dos Voluntarios de Aragón (Asociación Histórico Cultural)

Aqui ficam algumas imagens alusivas a actividades dos nossos conhecidos amigos dos Voluntários de Aragón, realizadas no mês de Fevereiro.
Nesta foto podemos observar uma carga de infantaria de linha realizada nas ruas de Saragoça.

Depois dos combates, o indispensável convivio.

Aqui temos alguns elementos de Hussados junto a elementos dos Voluntários de Aragón. 

Guarda de honra ao Edificio Paraninfo

Cerimónia evocativa do aniversário da capitulação da cidade.

Campanha de recrutamento.
Nunca é cedo demais para começar o treino para o combate histórico-cultural!

Parabéns!

Pedro Casimiro

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A Batalha de Waterloo (Junho de 2010) Reportagem Fotográfica (7)

Vou deixar-vos aqui um último relato relacionado com a aventura das tropas Portuguesas por terras da Bélgica, no decurso deste magnífico evento.
Tendo no meu último "post" relatado as aventuras dos artilheiros no dia da batalha principal, cabe agora relatar o que sucedeu com os soldados de infantaria.

As tropas preparam-se para o combate de manhã bem cedo, sendo possível ver em todos os rostos a gravidade do momento.
No caso do Sérgio, vê-se que ele está a ganhar coragem para telefonar à patroa e contar que esta poderia  ser a última vez que falava com ela...antes de voltar a Portugal.
Ao fundo podemos ver o Alves em estado meditativo, a pensar se seria permitido utilizar papel higiénico num acampamento histórico.

Mas todas as dúvidas rapidamente despareceram, quando as tropas começaram a fazer os treinos preparatórios para a grande batalha!

As mulheres e os filhos dos soldados, que ficavam no acampamento, tentavam esconder a ansiedade e não pensar demasiado no que podia acontecer aos bravos soldados que iam combater.


Uma vez chegados ao campo de batalha, tudo ficou mais dificil.
Aqui vemos a Carla a tentar encontrar uma posição onde não pudesse ser vista pelas tropas inimigas, antes de chegar o momento de entrar em acção.

As tropas aliadas tentavam evitar os milhares de tiros que cruzavam o ar e procuravam a melhor camuflagem possível.

Claro que o nosso oficial, para mostrar o seu desprezo pelo perigo, optou por usar apenas uma camuflagem ligeira na sua barretina.

O aparecimento da Guarda Imperial Francesa causou, por breves momentos, alguma preocupação entre as tropas menos experientes.

Embora os combates tenham sido muito duros, com mais de 3.000 homens e mulheres em campo, felizmente ninguém se magoou e acabou tudo bem.

No dia seguinte as tropas desmontaram o acampamento e prepararam-se para voltar à Pátria.
Isto de acampar ao ar livre é muito giro, mas não é numa terra onde chove na maior parte do tempo.
Que saudades de um tecto sobre a cabeça, do chuveiro e do vale de lençois...

Qualquer expediente era legítimo para escapar à inclemência do clima...

E foi assim que terminou esta verdadeira aventura!

Venha a próxima!

Pedro Casimiro




segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Uniformes e Trajes do defensores de Gerona - por Marc Morillón (Parte 3)

(Regimento Borbón)

(Migueletes; Terço de Gerona; Terço de Vich; Somatenes)

Os Migueletes e os Somatenes eram unidades de milícia, que normalmente eram voluntários e recebiam soldo. Eram originários da Catalunha e que desempenharam importante funções de guerrilha contra os exércitos franceses, cortando abastecimentos e isolando guarnições. 
Os Migueletes eram uma espécie de milícia paramilitar, eram móveis e independentes e possuíam uma hierarquia próxima da militar.
Os Somatenes possuíam também a natureza de milícia, mas normalmente só operavam próximo das vilas ou aldeias  de origem dos respectivos membros.
Em casos pontuais, estes grupos uniam-se em unidades de grandes dimensões e desafiavam unidades do exército francês em batalhas campais.

Pedro Casimiro

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Uniformes e Trajes do defensores de Gerona - por Marc Morillón (Parte 2)

 (Artilheiros)
 (O povo em armas)
(Regimento de Infantaria de Ultonia)

O Regimento de Infantaria de Ultonia foi uma unidade de mercenários irlandeses que mais tempo esteve ao serviço do Reino de Espanha, e era maioritariamente composta por exilados, cujo exílio era motivado por perseguições de natureza politica ou religiosa. 
Também havia irlandeses que se juntaram a esta unidade militar apenas para garantirem um soldo e escaparem às dificuldades de sobrevivência existentes no seu país de origem
Esta unidade foi criada em 1709 e extinta em 1818.
Distingui-se especialmente no cerco ou sítio de Gerona, bem como no decurso de toda a Guerra Peninsular, tendo  sido agraciada com diversas condecorações.

Pedro Casimiro

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Uniformes e Trajes do defensores de Gerona - por Marc Morillón (Parte 1)

(Estado Maior)
 (2.º Batalhão de Barcelona e Voluntários de Tarragona)
(Regimento de Baza, Sapadores e Hussardos de San Narciso)

Esta série reporta-se aos uniformes e trajes dos bravos intervenientes nos cercos ou sítios de Gerona (ocorridos entre 1808 e 1809). Durante este período histórico esta cidade foi várias vezes assaltada por vários exércitos franceses, bem equipados e numerosos, que encontraram sempre pela frente a vontade indomável dos nossos vizinhos espanhóis de lutar até à ultima extremidade para salvaguarda da independência da sua Nação.

Deixo aqui um agradecimento especial aos nossos camaradas espanhóis que tornaram possível a publicação desta interessantíssima série histórica. 

Pedro Casimiro

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Escola do Soldado, Almeida, dias 18, 19 e 20 de Março de 2011

(destacamento de caçadores em defesa do Quartel-General de Wellington, na aldeia de Freineda)

Venho anunciar a realização do primeiro evento deste ano em que irão participar os elementos da ANP e do GRHMA, na Vila de Almeida.
Trata-se da edição anual da Escola do Soldado, evento que serve de foco de agregação de todos os recriadores históricos portugueses do período napoleónico e se destina a aperfeiçoar técnicas e tácticas, bem como a discutir e preparar o programa de eventos para 2011.

O programa geral é o seguinte:
Dia 18 de Março (sexta-feira):
-Recepção e instalação dos recriadores na Vila de Almeida.

Dia 19 de Março (sábado):
-Reunião de todos os elementos nas Portas de S. Francisco (Almeida) e partida para Freineda às 08.00 horas.
-Chegada a Freineda por volta das 09.00 horas, ao Largo da Feira.
-Treino preparatório da recriação histórica. 
-Cerimónia evocativa e de homenagem ao Duque de Wellington, no Largo da Igreja, por volta das 12.15 horas.
-Almoço, por volta das 13.00 horas.
-Pequena recriação histórica na aldeia de Freineda, por volta das 15.00 horas.

Dia 20 de Março (domingo):
-Reunião de todos os elementos presentes no Arsenal do GRHMA, por volta das 09.30 horas.
-Análise e discussão do programa de eventos para 2011; análise e aprovação das várias questões administrativas pendentes.
-Almoço, por volta das 12.30 horas.

Esta nossa intervenção vai coincidir com evento regional que anualmente se realiza em Freineda, denominado "Festa do Bucho". 

Caso existam condições para o efeito, gostaríamos que o evento a realizar durante a tarde do dia 19 consistisse numa recriação histórica alusiva à chegada imprevista de um grupo de soldados franceses a uma aldeia portuguesa à procura de comida e dispostos a saquear tudo o que de valor existisse no local e a maltratar os habitantes. 
A certa altura um dos habitantes consegue libertar-se e fugir e vai avisar um destacamento de valentes tropas portuguesas que se encontra próximo do local, que avançam de imediato contra os franceses, fazendo-os retirar, salvando deste modo as pobres aldeãs indefesas.

Pedro Casimiro


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

O Soldado do Arsenal & Companhia de Artífices - Elementos Iconográficos

DESENHOS ELABORADOS SEGUNDO O PLANO DE UNIFORMES DE 1806:

CAPITULO I, § XV
CAPITULO II, ARTIGO I, § VI
CAPITULO III, ARTIGO IV, § VI E MAPA DE CORES






Figura 45

Figura 44
Barretina:
Penacho na barretina de cor preta de acordo com o Plano de Uniformes (mapa de cores)
Com chapa das armas de Portugal no centro de acordo com o § XV, capitulo I
Chapa junto à aba com referência à respectiva companhia “ARSENAL” de acordo gravura anterior a 1806 fig. 2



Figura 2

Figura 1


Mapa de cores do plano de uniformes de 1806


Figura 3





Farda:
Farda curta -  cor azul ferrete
Bandas (peitilho) -  cor preta com colchetes desde o pescoço até á cintura c/  8+8=16 botões lisos em latão - grandes
Vivos e forro - cor vermelha
Canhão da manga – azul ferrete + vivo vermelho + 2 botões pequenos lisos em latão
Bolsos falsos nas costas com 3 botões pequenos lisos em latão (fig. 44 e 45)
Gola azul ferrete com vivo vermelho
Na manga do braço direito junto ao canhão leva dois galões de ouro em aspas com os vértices para cima (fig.30 e fig. 3)





Figura 30


Eugénia Guedes/Joaquim Guedes