segunda-feira, 16 de abril de 2018

Escola do Soldado (Edição 2018) - Reportagem fotográfica (6)



Caríssimos(as),

Foi também na simpática aldeia raiana de Freineda que teve lugar a cerimónia de encerramento da fantástica Escola do Soldado (realizada em Almeida nos passados dias 17 e 18 de março), cujo ponto alto esteve associado à cerimónia de entrega de medalhas aos elementos do GRHMA, de conformidade com o previsto no artigo 44.º, do Regulamento Interno da nossa associação cultural.

Esta é sempre uma cerimónia muito relevante na vida da nossa associação, que se realiza em média apenas de 3 em 3 anos, e que constitui uma oportunidade para dar aos nossos generosos e dedicados associados o agradecimento e o reconhecimento público que eles merecem, de conformidade com a graduação atingida no seio no Grupo, nos termos estatutários, correspondentes aos graus Bronze, Prata e Ouro.


A cerimónia foi realizada no largo da Igreja, em Freineda, tendo contado com a presença e com a colaboração do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Almeida (Eng. António Machado), do Sr. Vice-presidente da Câmara Municipal de Almeida (Sr. José Morgado), do Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Freineda (Dr. Miguel Bernardo) e do Sr. Presidente da Direção do Clube Escape Livre (Dr. Luís Antunes).
 


E aqui temos o soldado de artilharia Fernando Fonseca a receber a sua medalha (grau Prata)!

O nosso amigo Fonseca é originário da aldeia de Freineda e ingressou há já alguns anos no GRHMA, sendo um elemento participante e dedicado.


O nosso soldado de artilharia José Correia também recebeu uma medalha correspondente à graduação atingida (grau Bronze), sendo igualmente um elemento assíduo e participativo na atividade do GRHMA, estando sempre disponível para colaborar e ajudar os outros associados, quando solicitado para o efeito. 


Outro soldado dedicado e operacional é o nosso camarada da infantaria Rafael Sanches, que em relativamente pouco tempo atingiu a graduação correspondente ao grau Prata, indício claro do compromisso assumido, em termos de contributo para a atividade do Grupo.
 

E aqui temos o nosso soldado de infantaria Carlos Alves a receber a sua medalha (grau Bronze), que nesta edição da Escola do Soldado deu mais uma prova da sua capacidade organizativa e operacional, tendo dado um contributo muito relevante ao nível da reformulação do sistema de treinos e de integração dos novos de recrutas.


O nosso camarada Rogério Martins, até há pouco tempo soldado de artilharia e agora transferido para o Regimento de Infantaria nº 23, também recebeu a sua merecida medalha, correspondente à graduação atingida (grau Bronze).


O nosso soldado de artilharia Zé Carlos (Armanda, quando à civil...) também foi chamado à frente da linha, para receber a sua medalha (grau Bronze).


Tal como sucedeu com o nosso soldado de infantaria José Jaco, que nesta data recebeu a medalha correspondente ao grau Prata


Os elementos do departamento civil do GRHMA também tiveram direito às suas medalhas!

Acima podemos ver a nossa amiga Dionísia a receber a medalha correspondente à graduação Bronze, que é também um sinónimo da sua dedicação, tendo em conta a relativamente recente data do seu ingresso como associada no Grupo.


A nossa amiga Ana, bem disposta como sempre, também foi agraciada com a sua merecida medalha (grau Bronze).
 

Tal como sucedeu com a nossa amiga Sandra, que também recebeu a medalha correspondente à graduação Bronze, sendo também um elemento ativo e dedicado do nosso Grupo.


A sempre sorridente e simpática Manuela também teve oportunidade para receber a sua merecida medalha (grau Bronze).



Aqui temos as nossas amigas Paula e Beatriz a receberem as suas merecidas medalhas, tendo sido os primeiros elementos do departamento civil e receber a medalha correspondente ao grau Prata, facto que constitui mais um indício claro da assiduidade e do contributo dado por estes elementos para a atividade do GRHMA.

Aliás, a nossa amiga Beatriz até se apresentou a receber a sua medalha com a sua forquilha na mão, para o caso de haver alguém que tivesse, sequer, a veleidade de a impedir de receber a sua desejada medalha!


Este evento contou também com uma significativa presença de elementos da comunicação social, o que resultou numa considerável divulgação do evento e da atividade cultural nesta data desenvolvida na aldeia de Freineda.


Porém e como costuma suceder habitualmente, jornalistas houve de alguns órgãos de comunicação social que suscitaram dúvidas acerca da qualidade e a eficácia operacional das armas de fogo utilizadas no decurso deste evento.

Foi por este motivo que convidamos os Sr. jornalistas a "participarem" (como alvos...) numa demonstração da eficácia das nossas armas, no âmbito da simulação de um fuzilamento, à moda do início do séc. XIX.

E o resultado foi o que está ilustrado na imagem supra!

Mais uma vez fica provado que a culpa é sempre dos jornalistas...



Autoria das imagens: Armando Rui e Carlos Marques.


Pedro Casimiro



quarta-feira, 11 de abril de 2018

Evocação do Dia Internacional dos Museus e Sítios "Património Cultural para todas as Gerações": Almeida, dia 18-4-2018


Caríssimos(as),

No próximo dia 18 de abril está prevista a realização de um interessante evento, associado à evocação do "Dia Internacional dos Museus e Sítios", que se irá realizar no Centro de Estudos de Arquitetura Militar, situado na vila de Almeida.

O Dia Internacional dos Museus foi instituído pelo Conselho Internacional dos Museus em 18 de maio de 1977, tendo essencialmente por objetivo contribuir para a sensibilização do público a propósito da capacidade que os museus têm de servir de instrumento primário de promoção do intercâmbio e do enriquecimento cultural, através das gerações.

Os museus têm igualmente um potencial relevante ao nível da promoção da cooperação e do entendimento recíproco entre povos distintos, contribuindo deste modo para o desenvolvimento social, mediante a aquisição, pesquisa e conservação do conhecimento e do património material e imaterial da própria Humanidade.

Além disso e por via de regra, no Dia Internacional do Museu é GRÁTIS a entrada nestes locais, portanto é imperativo reservar tempo para visitar o maior número possível de museus nesse dia!


Pedro Casimiro




terça-feira, 10 de abril de 2018

Fiestas del 2 de Mayo (Festas do 2 de Maio): Plaza del Pradillo, Móstoles, Espanha: 28 de abril a 2 de maio 2018


Caríssimos(as),

Aqui fica uma nota relativa a mais um interessante evento cultural, que se irá realizar na simpática localidade espanhola de Móstoles, entre os próximos dias 28 de abril e 2 de maio de 2018!

Trata-se de um evento já com muita tradição, que se encontra classificado com acontecimento de interesse turístico regional, e que tem designadamente por objetivo evocar os memoráveis acontecimentos ocorridos no dia 2 de maio de 1808, precisamente na localidade de Móstoles, que se situa nos arredores de Madrid.

Essa data ficou não só marcada por confrontos sangrentos entre a população e o Exército Imperial Francês, sob o comando de Joaquim Murat, como também ficou associada ao início da chamada Guerra da Independência Espanhola, que perdurou entre os anos de 1808 e 1814, até à retirada final dos franceses da Peninsula Ibérica e aos combates subsequentes, ocorridos no sul de França.

Tal como a vila de Almeida, Móstoles é uma das localidades que faz parte integrante da Rede Ibérica  Napoleónica e da Federação Europeia de Cidades Napoleónicas, tendo por isso um papel muito relevante e ativo na promoção e divulgação do património histórico-cultural espanhol, associado às chamadas Invasões Francesas, que marcaram decisivamente o início do séc. XIX em Portugal e Espanha.


Pedro Casimiro


segunda-feira, 9 de abril de 2018

Ateliê Didático: Retalhos da Memória "Património de Geração para Geração" - Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro, dia 15-4-2018


Caríssimos(as),

A competente equipa do CIBV tem agendada a realização de mais uma interessante iniciativa cultural, dirigida ao público infantil e às respetivas famílias, que irá consistir na confeção de uma manta de retalhos com valor simbólico, em que cada pedaço se destina a evocar uma memória da Batalha do Vimeiro, passada de geração em geração.

Mais informações acerca deste evento podem ser encontradas AQUI.


Pedro Casimiro



domingo, 8 de abril de 2018

IV Recriação Histórica dos Cercos de Saragoça: dias 28 e 29 de abril de 2018


Caríssimos(as),

Aproxima-se a data da realização de um importante evento histórico-cultural, que terá lugar entre os próximos dias 28 e 29 de abril de 2018, na lindíssima e cheia de história cidade espanhola de Saragoça!

Trata-se da 4ª edição desta recriação histórica, onde está prevista a presença de mais de quatrocentos recriadores históricos provenientes de toda a Europa, num evento que se destina a evocar a memória dos dois importantes e sangrentos CERCOS, ocorridos no decurso do ano de 1808 (o segundo cerco terminou no mês de fevereiro de 1809), que deixaram gravados para sempre na memória coletiva dos habitantes desta cidade, e na História de Espanha, relatos de heroicidade e de dedicação à Pátria.

O que talvez muitos desconhecem é que houve muitos portugueses que lutaram nestes cercos!

Na verdade, um número considerável (cerca de 500) de soldados portugueses que, no mês de fevereiro de 1808 e mais ou menos à força, tinham sido integrados na recém formada Legião Portuguesa, (que passou a ser uma das muitas unidades estrangeiras integradas no Exército Imperial Francês) desertou das fileiras francesas e passou a ajudar os nossos vizinhos espanhóis na defesa das muralhas e das barricadas de Saragoça, no decurso dos cercos. As unidades militares portuguesas que participaram na defesa de Saragoça foram o Regimento de Infantaria nº 5 e o Batalhão de Caçadores nº 3.

Aliás, este ano está prevista a realização de uma cerimónia evocativa do contributo destes soldados portugueses na defesa de Saragoça, à qual o GRHMA não podia faltar! 

Este evento irá ser organizado pelos nossos amigos dos Voluntários de Aragon, sob a direção do nosso amigo D. Luis Sorando, o que constitui uma garantia de qualidade e converte este evento num acontecimento de visita obrigatória, para todos os amantes da História de Portugal e de Espanha.


Pedro Casimiro



sexta-feira, 6 de abril de 2018

Escola do Soldado (Edição 2018) - Reportagem fotográfica (5)

 

Caríssimos(as),

Retomando o tema da edição de 2018, da nossa fantástica Escola do Soldado, venho trazer-vos algumas imagens relativas à vertente do evento que foi realizada na simpática aldeia raiana de Freineda, onde somos sempre recebidos com a habitual simpatia e amizade!


Uma das residentes da aldeia que parece já estar habituada à nossa presença é esta simpática cegonha, residente na torre da Igreja, que nunca estranha minimamente o reboliço destes dias e que nem sequer estranha o estrondo e o troar das peças de artilharia.

Sem dúvida que está em causa uma família de cegonhas que, de geração em geração, transmite à sua descendência indicações no sentido da probabilidade do aparecimento, de tempos a tempos, de numerosos visitantes usando roupas estranhas, que se dedicam a dar tiros pelas ruas da aldeia...


E aqui está um dos valentes soldados de infantaria do RI nº 23, que é o nosso camarada Carlos Soares, a desempenhar a sua missão de reconhecimento do inimigo, pelas ruas da aldeia.


As peças de artilharia, por outro lado, já tinham sido colocadas em locais estratégicos e estavam prontas e entrar em ação.



E ação de facto houve, e muita!

E como sempre, os soldados de infantaria do GRHMA (Regimento de Infantaria nº 23) estiveram sempre na linha da frente, totalmente indiferentes aos perigos e aos assaltos dos seus adversários!

É um facto que também tivemos neste evento soldados do Batalhão de Caçadores nº 6, do Batalhão Académico e da Leal Legião Lusitana. No entanto, como eles "optaram" por combater ao lado dos franceses, ninguém lhes tirou fotografias...são os ossos do ofício.



Os nossos artilheiros (do Regimento de Artilharia nº 4 e do Batalhão de Artilharia do Sobral), que uma vez mais puseram à prova a resistência e a solidez das habitações de Freineda!


Os combates em Freineda serviram de batismo de fogo para muitos dos recrutas que iniciaram a sua atividade nesta edição da Escola do Soldado.


Os nossos amigos de Arroyomolinos, representando unidades de infantaria inglesas, também deram um contributo importante no sentido da vitória final do destacamento aliado, nestes combates de rua.



Mas não se pense que esta vitória foi fácil!

Na verdade, o destacamento francês presente em Freineda vendeu cara a derrota, isto apesar de a maioria dos seus membros ser composta pelos nossos amigos do Vimeiro. No entanto, ninguém gosta de perder, nem que seja a "jogar a feijões"!


Sendo que, o facto de termos do nosso lado um destacamento de valentes soldados do Regimento de Infantaria nº 19, também do Vimeiro, ajudou, e muito, à vitória final!



Mas que não se pense que os elementos populares andavam distraídos!

Muito pelo contrário, os elementos civis e populares deram um contributo muito importante à vitória do destacamento luso-inglês, através do fornecimento de preciosas informações acerca da localização e composição do dispositivo histórico-militar adversário.



Assim sendo, o resultado final só podia ser um: a Vitória!
 (ou não estivéssemos a jogar em casa...)

Na verdade, o destacamento francês não conseguiu resistir ao fogo concentrado e bem dirigido dos soldados luso-ingleses, acabando por se render às evidências.


Autoria das imagens: Armando Rui, Carlos Marques, AMBV, BAS, Paulinha.



Pedro Casimiro




terça-feira, 3 de abril de 2018

O "Render da Guarda" nas Portas de Almeida


Caríssimos(as),

No passado fim de semana realizou-se em Almeida mais uma edição do chamado 
"Render da Guarda"!

Trata-se de um evento com periodicidade mensal, no âmbito do qual quer os nossos soldados, quer os nossos elementos civis, se disponibilizam para colaborar na recriação de quadros históricos na vila de Almeida, associados designadamente à colocação de guardas e sentinelas nas portas principais da fortaleza, sendo usualmente utilizadas para este efeito as chamadas Portas de S. Francisco.




E aqui estão alguns dos nossos valentes soldados, de guarda às Portas!

Como se costuma dizer, as imagens não enganam e estas imagens ilustram claramente que estamos perante soldados histórico-militares experientes e operacionais, como se pode deduzir das respetivas posturas e atitude marcial.



O que também não pode faltar são os desfiles histórico-militares!

E desfiles houve e muitos, pois se há uma coisa que os soldados histórico-militares gostam de fazer é, precisamente, marchar...


E aqui temos mais um quadro de época típico, que é uma moçoila a meter conversa com um soldado, enquanto este está de serviço de sentinela.
(ainda bem que o Tózinho estava fora, em serviço...)



Está em causa, de facto, mais uma atividade e um contributo importante do GRHMA, em estreita colaboração, com é habitual, com o Município de Almeida, associado à animação e ao enquadramento histórico-militar da fortificação abaluartada, única e singular, existente no concelho de Almeida, que é sempre do agrado dos turistas e dos visitantes da fortaleza.

Este tipo de atividades, promovidas de uma forma regular e distribuídas ao longo do ano, é também importante numa dupla dimensão: contribui para uma promoção sustentada do chamado Turismo Cultural, na vertente do Turismo Histórico-militar, ao promover a animação de um espaço físico e permitir uma melhor interpretação e compreensão do mesmo, em termos do respetivo enquadramento histórico, como também por via da promoção das vertentes lúdica e pedagógica, de uma forma mais assídua e regular.

Bem haja a todos os elementos do GRHMA que estiveram disponíveis para colaborar em mais esta importante iniciativa!


Autoria das imagens: Armando Rui e Carlos Marques.



Pedro Casimiro





sábado, 31 de março de 2018

Almeida e o GRHMA no programa "IR é o Melhor Remédio (Alentejo e Beira Alta)", da SIC, dia 30-3-2018


Caríssimos(as),

Existe uma oportunidade para visualizar novamente na TV os recriadores históricos mais operacionais e com maior impacto, em Portugal e arredores!


Na verdade, estiveram presentes na nossa Escola do Soldado repórteres da SIC, do programa temático denominado "IR é o melhor remédio", que tiveram o privilégio de recolher algumas imagens quer dos excitantes combates de rua, quer dos valentes soldados, quer das elegantes elementos civis presentes neste evento.

A parte deste programa relativa às filmagens realizadas em Freineda podem ser visualizadas ao MINUTO 13.48, do referido programa.

O interesse que vem despertando o evento anualmente realizado em Freineda nesta data, refletido na presença de um crescente número de público nesta pequena aldeia, é mais um reflexo da importância e do contributo que as recriações históricas promovidas pelo Município de Almeida continuam dar, ao nível da promoção e da divulgação histórico-cultural e turística do interior de Portugal, em especial no concelho de Almeida.


Pedro Casimiro




quinta-feira, 29 de março de 2018

Escola do Soldado (Edição 2018) - Reportagem fotográfica (4)

 

Caríssimos(as),

Bem sabendo que os numerosos seguidores deste fantástico blog têm andado "em pulgas", à espera de mais imagens relativas à singular edição de 2018 da nossa maravilhosa Escola do Soldado, venho satisfazer a vossa curiosidade e trazer-vos mais um conjunto de excelentes imagens deste evento, tiradas pelos nossos credenciados fotógrafos.



No sábado de tarde, depois do almoço, foi organizado o habitual desfile histórico-militar até ao cemitério de Almeida, destinado a evocar a memória dos nossos camaradas já falecidos: o Paulo, o Hugo e o Orlando.


No regresso à vila de Almeida, os nossos soldados e em especial os recrutas presentes, voltaram ao trabalho!



Claro está que, se o período da manhã se destinou em grande parte a dar trabalho aos músculos e ao cérebro, o período da tarde de sábado destinou-se dar aquecimento as armas e às peças de artilharia!


Como é habitual e natural, os soldados para além de levarem instrução também tiveram, algumas vezes, de "levar nas orelhas".

Fez tudo parte de um normal dia de trabalho...


E aqui podemos ver os valentes e experientes soldados do RI nº 23, a carregar as suas armas e a prepararem mais um movimento tático surpreendente e inovador, ao nível da infantaria.


Os nossos camaradas do RI nº 19, do Vimeiro, também não deixaram os seus créditos por mãos alheias e mostraram os resultados qualitativos positivos, nos seus treinos operacionais, desta vez sob as ordens dos seu novíssimo (ou melhor, do seu bem conservado...) oficial (alferes) de infantaria, que é o nosso camarada Vasco Belchior.


O destacamento francês presente neste evento, composto por elementos da AMBV e de Arroyomolinos, também deu boa conta de si próprio e deu mostras de qualidade operacional!

 


Os (numerosos...) destacamentos de artilharia presentes no evento (Regimento de Artilharia nº 4, Brigada de Artilharia Naval e Guerra e Batalhão de Artilharia do Sobral) ocuparam e aproveitaram as cotas mais elevadas do terreno, para dar "voz" às suas peças de artilharia!


Como é do conhecimento geral, no GRHMA a formação de todos os nossos recrutas é sempre iniciada por uma passagem pelo nosso Regimento de Artilharia nº 4. Daqui se poderá tirar uma conclusão acerca do grau de competência, qualidade e segurança que é reconhecida aos nossos artilheiros veteranos!


O final da tarde de sábado ficou marcado por mais dois momentos altos deste evento: o lanche partilhado em ambiente de época e pela excelente tertúlia "A música no dealbar do século XIX: o (des)encontro entre duas estéticas", com a presença e participação do nosso amigo Professor Doutor Rui Bessa, da Escola Superior de Educação do Porto.



Tratou-se de mais um momento cultural muito interessante, que mereceu a atenção e foi do agrado de todos os presentes.

Fica aqui um especial agradecimento ao Prof. Rui Bessa, pelo relevante contributo e momento cultural, que proporcionou aos participantes neste evento.


Isto não obstante os nossos soldados Zé-Tó e Zé-Maria terem aproveitado as distrações momentâneas dos seus oficiais, para se dedicarem a sessões de conversa fiada, tanto do agrado dos nossos "Zé-Soldados"...



No entanto, o dia de sábado, apesar de pleno de árduas e de sucessivas tarefas, não terminou cedo!

Depois do jantar todos participantes neste evento tiveram a oportunidade de dar o já habitual "passinho de dança" à moda de oitocentos, o que permitiu reunir a maioria dos elementos civis e militares presentes neste evento em  momentos de alegre convívio.


 

Como vem sendo habitual, os soldados do GRHMA mostraram que são não só especialistas no manejo das armas e das peças de artilharia, como também são especialistas no "manejo" das damas, através da pista de dança!


Aqui podemos ver o nosso amigo Pedro, que é um dos novos recrutas, que no início das danças se tentou pôr de parte, dizendo "eu não sei dançar", para no final dizer "então, já acabou? não vai haver mais danças?".

Aqui está mais uma prova de que ninguém consegue resistir a um bom baile oitocentista!


Autoria das imagens: Carlos Marques, Armando Rui.


Pedro Casimiro