Clique na Imagem

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Fotos de Época

Caríssimos(as),

Ao contrário daquilo que muitos pensavam, parece afinal que a invenção da fotografia não ocorreu em meados, mas antes no início do séc. XIX!

E para prova deste facto, venho apresentar-vos um conjunto de imagens de garbosos soldados portugueses (com pinta de serem do ano de 1810...), recentemente descobertas numa arca antiga, encontrada num profundo túnel escavado na rocha, situado mesmo por debaixo das muralhas da fortaleza de Almeida.

 


E aqui podemos ver um soldado que era, claramente, polivalente, pois tanto prestava serviço como porta-bandeiras, como prestava serviço como músico, sendo mais um exemplo clássico do chamado "pau para toda a colher". No entanto, a postura deste soldado ao segurar o tambor deixa algumas dúvidas, quanto à respetiva proficiência musical...
 

Esta imagem antiga permite-nos perceber, afinal e ao fim de muitas centenas de anos, de onde veio o Chapéu Chinês (também apelidado de Sistro), que atualmente existe no GRHMA, aqui empunhado por um sargento do Regimento de Artilharia nº 4.


Aqui podemos ver como um sargento de infantaria dava o exemplo aos seus soldados, fazendo serviço de guarda e sentinela, com a baioneta devidamente colocada no seu mosquete e pronto para tudo!


E para contrariar muito preconceitos e ideias pré-concebidas, a respeito do papel das mulheres na guerra e nos combates, aqui temos uma imagem fidedigna do início do séc. XIX alusiva a um soldado do Regimento de Infantaria nº 19, que prova, de uma vez por todas, a valentia das mulheres portuguesas e a importância fundamental que as mesmas tiveram na derrota dos invasores franceses!



Esta imagem é claramente um instantâneo, pois captou o preciso momento em que um soldado português do Regimento de Infantaria nº 23 estava com o dedo no gatilho e se preparava para alvejar um francês (ou para caçar um coelho, para o almoço...).


E por falar em caçadores, aqui podemos ver dois soldados desta arma, que constituíam um exemplo de tropa de elite existente exército português, do início do séc. XIX, embora uns fossem mais exemplares do que outros...



Todavia, a guerra no início do séc. XIX não se fazia apenas com soldados de infantaria e de artilharia!
E para demonstrar este facto foi igualmente encontrada uma imagem de um bravo soldado de cavalaria portuguesa, no ato de empunhar uma carabina de cavalaria e a preparar-se para entrar em ação.

Mais um instantâneo...claramente.


Este acervo documental não ficaria completo se não ficasse aqui mencionado o experiente arqueólogo fotográfico, que, depois de muitos anos de buscas e de aturadas escavações, encontrou e divulgou ao mundo estas imagens, que foi, como não podia deixar de ser, o nosso amigo Carlos Marques.


Pedro Casimiro




terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Tomada de posse dos órgãos sociais da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro: dia 7-1-2017


Caríssimos(as),

No passado dia 7 de janeiro realizou-se, no Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro, uma cerimónia formal de tomada de posse dos novos órgãos sociais, envolvendo os nossos camaradas e amigos da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro (AMBV).

Esta associação, que foi constituída através de escritura pública outorgada no dia 23 de janeiro de 2015, continua a afirmar-se no plano nacional e internacional das recriações históricas e tem prestado um contributo assinalável no sentido da promoção e da divulgação do património histórico-cultural do Vimeiro e da Lourinhã, associado às chamadas Invasões Francesas (início do séc. XIX).
 

À semelhança do sucede em Almeida, existe também uma ligação muito estreita entre esta associação histórico-cultural e o Município do concelho onde está inserida, refletida na presença nesta cerimónia do Sr. Vice-presidente da Câmara Municipal da Lourinhã Fernando Oliveira, decorrente da partilha de objetivos comuns, associados à promoção e ao desenvolvimento cultural e turístico regional, tendo designadamente em conta as perspetivas e o desenvolvimento atualmente associado ao chamado Turismo Militar.


E graças à colaboração e aos contributos, quer dos diversos e ativos associados da AMBV, quer do próprio Município da Lourinhã, tem sido possível a estes nossos amigos continuar a investir fortemente na aquisição dos mais diversos e indispensáveis equipamentos necessários à participação e à organização de eventos de recriação histórica, como é o caso das armas e dos fardamentos de época.
 

E cá temos dois nossos conhecidos amigos da AMBV, empunhando com orgulho a bandeira regimental do Regimento de Infantaria nº 19, que se traduz numa promessa de contínua devoção e dedicação a favor da promoção da História de Portugal, por terras nacionais e estrangeiras!


Pedro Casimiro




segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Feira Internacional de Turismo: Madrid, dias 18 a 20 de janeiro de 2017


Caríssimos(as),

De conformidade com solicitação recebida nesse sentido, proveniente do Município de Almeida, este ano e uma vez mais o GRHMA irá colaborar na organização da Feira Internacional de Turismo,  agendada para os dias 18 e 20 de janeiro, na cidade de Madrid, Espanha.

Trata-se de um evento com uma assinalável projeção, em termos ibéricos e não só, que serve usualmente de ponto de encontro para uma multiplicidade de empresas e de profissionais da área do turismo, tendo a edição do ano de 2016 batido um recorde de mais de cem mil visitantes e a presença de mais de nove mil empresas, provenientes de 164 países ou regiões.

Trata-se, por isso, de um evento importante para o concelho de Almeida, no sentido da divulgação do respetivo património histórico-cultural e dos mais diversos fatores de atração turística, motivo pelo qual o GRHMA terá o maior prazer em colaborar com o Município neste evento e associar-se a mais este esforço de promoção internacional de Almeida.


Pedro Casimiro


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Assembleia geral do GRHMA e Almoço de Natal: dia 8 de dezembro de 2016 - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

No dia de ontem realizou-se a agendada assembleia geral extraordinária do GRHMA, que contou com a presença de um número muito significativo dos nossos elementos, o que constitui mais um sinónimo do interesse que existe na atividade desenvolvida pela nossa associação histórico-cultural.

Tivemos igualmente o prazer de contar com a presença do Sr. Vice-presidente da Câmara Municipal de Almeida José Alberto Almeida Morgado e do Sr. Vereador António José Monteiro Machado, reforçando a proximidade e a cumplicidade que existe entre o Município de Almeida e o GRHMA, decorrente da partilha de relevantes objetivos comuns, associados à promoção histórico-cultural e turística do concelho de Almeida.


Uma ordem de trabalhos preenchida e recheada de focos de interesse, foi uma garantia da atenção e da participação de todos elementos presentes na assembleia geral, obviamente fardados a rigor, como se espera de uma organização histórico-militar que se preza.


Sendo que, nos raríssimos casos em que algum elemento se distraiu com algum assunto estranho à ordem de trabalhos, foi feito um uso, parcimonioso e sensato, de um excelente instrumento acústico de moderação dos trabalhos e de chamada da atenção, denominado "O Gongo do GRHMA", que como todos podemos ver constitui um magnífico trabalho de modelação e de fundição em latão, feito pelo nosso sargento Joaquim Guedes.
 

Um dos assuntos tratados esteve relacionado com o projeto muito relevante para o GRHMA, que irá ser liderado pelos nossos amigos António Guedes e Joaquim Guedes, associado à construção de uma réplica de uma peça de artilharia de campanha inglesa de 6 libras, usada pelo Exército Português no decurso das Invasões Francesas, que irá ser dúvida constituir um exemplar único em toda a Peninsula Ibérica!

Está em causa um projeto abrangente com múltiplas dimensões, sendo uma das mais relevantes a componente pedagógica a museológica, que irá habilitar o concelho de Almeida com uma componente singular e única, associada ao desenvolvimento e uso da artilharia em Portugal, no início do século XIX.




E de molde a evitar uma eventual e sempre arriscada sobrecarga intelectual de todos os presentes, a meio da manha foi feito um intervalo para descompressão, em que os nossos elementos aproveitaram para beber o indispensável cafézinho, acompanhado de uma ginjinha de Almeida, para aquecer, uma vez que a temperatura exterior de cerca de 3 graus centígrados, não estava para brincadeiras.

Depois da assembleia realizada, todos os caminhos foram dar ao restaurante, onde estava prevista a realização do nosso almoço-convívio de Natal, que também contou com a presença do nosso sargento Carlos Alves, que neste caso foi acompanhado pela Paulinha e pelo Paulo.

Claro está que o nosso sargento Guedes aproveitou esta oportunidade para exibir uma vez mais (e com alguma vaidade...) o seu uniforme do Regimento de Milícias da Feira.

O nosso amigo Faria e Silva, que continua a ser o primeiro (e até ao momento único...) sócio honorário do GRHMA, também nos brindou com a sua presença nesta assembleia geral, juntamente com a sua lindíssima esposa, D. Manuela Gil.



Os nossos soldados António e Francisco Ferrer também fizeram um desvio de algumas centenas de quilómetros a fim de participarem neste evento, juntamente com o filho do nosso soldado Francisco Ferrer, que está alinhado para se tornar no mais jovem associado do GRHMA!


E foi em espírito de camaradagem e de partilha, apropriado à época, que terminou mais este encontro do GRHMA, cabendo por isso deixar aqui um enorme Bem Haja a todos quantos se dispuseram a participar ativamente no mesmo e no trabalho desenvolvido pela nossa associação.


Fotos: Paulinha e Carlos Marques.


Pedro Casimiro




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Tourism Train Experiences (2ª Edição): Coimbra, dia 21 de novembro de 2016 - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

Aqui ficam algumas imagens alusivas ao evento recentemente realizado na cidade de Coimbra, promovido pela Universidade Europeia e relativo à promoção e ao desenvolvimento do turismo ferroviário na Beira Alta, que contou com a presença de múltiplos responsáveis governamentais, municipais e universitários, para além de diversas entidades públicas e privadas associadas ao desenvolvimento das mais diversas vertentes do chamado turismo cultural.



O público-alvo deste evento foi, primariamente, o conjunto dos alunos de diversos estabelecimentos universitários associados ao setor do turismo, a quem foram lançadas diversas propostas e desafios relacionados com a promoção e desenvolvimento de projetos turísticos regionais e no interior do país, com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário, enquanto transporte turístico de excelência, na perspetiva do turismo militar, gastronómico, ferroviário, de natureza, universitário, entre outros.


Os desafios que apresentei estavam obviamente direcionados à promoção e desenvolvimento da temática do turismo militar, envolvendo as potencialidades a este nível existentes no concelho de Almeida, bem como em outros concelhos do país com património e tradições associadas ao período histórico das Invasões Francesas, ou Guerra Peninsular, como é o caso dos concelhos envolventes do local onde se realizou a Batalha do Buçaco (Mealhada, Mortágua e Penacova) e dos mais diversos concelhos que integram a chamada Plataforma Intermunicipal das Linhas de Torres (Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Torres Vedras e Vila Franca de Xira).

Nessa perspetiva, foram lançados dois desafios:

a) O primeiro desafio esteve relacionado com a criação de uma rota turística associada à chamada 3ª Invasão Francesa, iniciada no mês de julho de 1810 sob a liderança do Marechal André Massena, que permitiria o desenvolvimento de produtos turísticos de natureza histórico-cultural, envolvendo o concelho de Almeida, passando pela área geográfica envolvente da Batalha do Buçaco e terminando na já existente Rota das Linhas de Torres, com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário.

b) O segundo desafio lançado esteve relacionado com a criação de uma rota turística com uma dimensão internacional e mais abrangente, partindo do concelho de Almeida e envolvendo as mais diversas localidades europeias integradas na rede da Federação Europeia das Cidades Napoleónicas, da qual Almeida é a primeira, e por enquanto a única, localidade portuguesa associada, igualmente com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário.

Além do mais, este segundo desafio teria a vantagem de poder contribuir para o fortalecimento da consciência da participação histórica do povo português em realidades culturais de âmbito transnacional, para além de os eventuais produtos turísticos criados poderem beneficiar de uma instantânea recetividade nos locais de destino, decorrentes da promoção e partilha de um património histórico-cultural comum.


No final da apresentação fui abordado por diversos assistentes, que colocaram um conjunto pertinente de questões relacionadas com os desafios lançados, o que porventura permite antever o nascimento de múltiplas propostas e projetos turísticos a este nível, envolvendo o concelho de Almeida.


Autoria das imagens: Tourism LAB


Pedro Casimiro




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Video Promocional sobre o Concelho de Almeida


Caríssimos(as),

O Concelho de Almeida não para!

E para ajudar a inspirar e despoletar exemplos semelhantes por todo este nosso belíssimo país, associados à preservação e à divulgação do nosso património, das nossas tradições e da nossa cultura quase milenar, aqui fica mais um fantástico VÍDEO PROMOCIONAL para vosso deleite, onde podem ser apreciadas algumas das mais belas jóias existentes no Concelho de Almeida!

É de facto um prazer especial que nós temos, enquanto cidadãos(ãs) e enquanto membros voluntários do GRHMA, no sentido de podermos de alguma maneira contribuir para este esforço de preservação e de divulgação histórico-cultural promovido pelo Município de Almeida, que nasce da profunda convicção de que se não formos nós - cidadãos e cidadãs portugueses(as) - a fazê-lo, mais ninguém o fará.

Vereis amor da pátria, não movido
De prémio vil, mas alto e quási eterno;
Que não é prémio vil ser conhecido
Por um pregão do ninho meu paterno.
Ouvi: vereis o nome engrandecido
Daqueles de quem sois senhor superno,
E julgareis qual é mais excelente,
Se ser do mundo Rei, se de tal gente.

(Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto I, Instância 10)


Alma até Almeida!


Pedro Casimiro



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Assembleia geral do GRHMA e Almoço de Natal: dia 8 de dezembro de 2016


Caríssimos(as),

Para os mais distraídos, peço licença para recordar que no próximo dia 8-12-2016 está prevista a realização da assembleia geral extraordinária do GRHMA, que se destina, designadamente, a fazer um balanço das atividades desenvolvidas pela nossa associação histórico-cultural no decurso do ano de 2016, bem como a lançar as bases das atividades previstas para o ano de 2017.

À assembleia geral seguir-se-á o nosso tradicional Almoço de Natal, que todos esperamos seja recheado de delícias gastronómicas típicas da Beira Alta!

Cabe ainda recordar que está em causa um evento formal, motivo pelo qual todos os nossos elementos militares devem ser portadores do seu uniforme completo e a brilhar e os elementos civis devem envergar as suas indumentárias típicas do início do séc. XIX.


Pedro Casimiro


sábado, 19 de novembro de 2016

Tourism Train Experiences (2ª Edição): Coimbra, dia 21 de novembro de 2016



Caríssimos(as),

No próximo dia 21 de novembro irá realizar-se, no Centro de Congressos de Coimbra, a segunda edição do evento denominado "Tourism Train Experiences".

Trata-se de um evento da iniciativa da Universidade Europeia, que este ano conta com a colaboração de 3 escolas de hotelaria e turismo portuguesas, do Instituto Politécnico da Guarda, da Universidade de Coimbra e da Universidade da Guarda, entre outras entidades, bem como conta com o apoio do Turismo de Portugal e da CP - Comboios de Portugal.

Está em causa um projeto de dimensão transfronteiriça, com uma incidência especial em temáticas turísticas menos usuais, tais como o turismo militar, gastronómico, ferroviário e universitário, que por sua vez se podem considerar vertentes do chamado turismo cultural.

Este ano e em representação do Município de Almeida, irei apresentar uma comunicação neste evento relacionada com a temática do turismo militar, associada à reconstituição histórica, na perspetiva do trabalho desenvolvido pelo Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida nesta matéria.

Será que o transporte ferroviário, enquanto meio de transporte turístico de excelência, pode servir de meio adicional de promoção e de divulgação quer do património histórico-militar nacional, quer do próprio turismo militar?

Uma resposta possível a esta intrigante questão poderá ser sem dúvida encontrada no próximo dia 21, no referido evento que se irá realizar em Coimbra.


Pedro Casimiro




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Concurso de Ideias "MENTES BRILHANTES para o TURISMO MILITAR", Aveiro, 16-11-2016 - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

Uma vez mais, o prometido foi cumprido! 

Mesmo depois de um ano pleno de múltiplas atividades e de participações em eventos, alguns deles envolvendo deslocações de vários milhares de quilómetros, ainda assim o GRHMA conseguiu reunir cerca de duas dezenas de voluntários, entre elementos civis e militares, a fim de colaborar condignamente nesta iniciativa promovida pelo Ministério da Defesa Nacional, associada à promoção do chamado Turismo Militar.

Este evento, que contou com a presença, designadamente, do Exmo. Senhor Secretário de Estado da Defesa, Dr. Marcos Perestrello, e do Exmo. Senhor Chefe do Estado Maior do Exército, General Frederico Duarte, destinou-se essencialmente a contribuir para despoletar o interesse dos mais jovens pela temática do Turismo Militar, chamando a atenção para as respetivas potencialidades, enquanto fator de crescimento e de desenvolvimento, aos mais variados níveis.




Este evento constituiu, também, uma oportunidade relevante para chamar a atenção dos inúmeros jovens presentes para os desafios e para os atrativos da profissão militar, com vista a despoletar vocações para o desempenho de algumas das mais nobres tarefas que estão ao alcance de qualquer cidadão(ã), associadas à defesa da Pátria.


Por seu lado, todas as associadas da Associação Napoleónica Portuguesa (ANP) marcaram uma presença relevante neste evento, envolvendo o Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida (GRHMA), a Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro (AMBV) e a Associação Portuguesa de Recriação Histórica (APRH).

Estas associações pretenderam, designadamente, dar a conhecer o trabalho que desenvolvem, em regime de voluntariado, em termos da promoção e da divulgação do património histórico-cultural português, bem como para chamar a atenção para a relevância das reconstituições histórico-militares enquanto fator de atração e de desenvolvimento cultural e turístico.


E aqui podemos ver a fantástica BALISTA que, entre muito outros equipamentos, os nossos amigos da APRH fizeram transportar para este evento e que serviu para fazer interessantíssimas demonstrações de tiro neurobalístico, que muito impressionaram os assistentes.


Os nossos amigos da AMBV trouxeram e colocaram em exposição alguns dos singulares objetos que faziam parte do kit de campanha, usado pelo soldado do início do séc. XIX.


Por seu lado, o GRHMA teve a seu cargo uma exposição relativa ao armamento ligeiro usado pelo soldado de infantaria português do mesmo período histórico, entre os quais se incluíam dois mosquetes Brown Bess, sendo um do modelo "India" e o outro do modelo "Land".


E, como podemos ver na imagem, quem assumiu a responsabilidade pela execução desta tarefa foi o nosso cabo Coelho que, apesar de ainda se encontrar em fase de recuperação de um problema de saúde, mesmo assim fez um esforço no sentido de uma participação e colaboração ativa neste evento, o que é mais um sinónimo da sua dedicação à nossa causa.

Aliás, o Coelho também aproveitou este evento para dar uma explicação ao Comandante do GRHMA, alegando que havia uma dificuldade de natureza doméstica que impedia a colocação das novas insígnias de cabo, no seu uniforme. 

Com a sua sensibilidade habitual, o nosso Comandante telefonou de imediato à Srª D. Fátima Casimiro, esposa do nosso soldado Coelho e apelou à respetiva colaboração no sentido de ultrapassar essa dita dificuldade doméstica e pedir o favor da respetiva ajuda, com vista à colocação dessas insígnias.

O nosso Comandante é de uma bondade extrema...



E por falar em gestos de bondade, é obrigatória uma referência ao trabalho desenvolvido pelas senhoras do nosso departamento civil no decurso deste evento e à generosa colaboração da Câmara Municipal de Almeida, que permitiram a exposição neste evento de uma mesa plena de saborosos e suculentos produtos regionais típicos da Beira Alta, que fizeram as delícias do público presente.

Esta é outra vertente relevante do trabalho desenvolvido pelo GRHMA, associado à promoção e à divulgação da gastronomia típica da região da Beira Alta, criando uma relação de complementaridade entre a promoção e divulgação do património histórico-militar e a valorização e divulgação do respetivo património gastronómico, que constitui um relevante atrativo turístico-cultural.


E aqui temos as nossas amigas Paulinha e Bia, a dar um contributo para a promoção do património gastronómico da Beira Alta, exemplificando algumas das técnicas mais eficazes utilizadas para esvaziar um copo da famosa GINJINHA de Almeida...


E aqui temos mais duas conhecidas senhoras do nosso departamento civil, que se dedicaram a exibir alguns dos trajes típicos do início do séc. XIX. Aliás, este evento contou uma vez mais com um forte contingente de senhoras do departamento civil do GRHMA, demonstrando uma vez mais a dedicação e a relevância destes elementos, para o sucesso desta nossa atividade.


Como sempre, não podia igualmente faltar neste evento uma mesa com diversos folhetos informativos relativos, designadamente, ao concelho e vila Almeida, às Aldeias Históricas e ao GRHMA.

Quem sabe se, à semelhança do Exército, também o GRHMA irá conhecer um afluxo inusitado de novos recrutas, por causa deste evento!


Outra singularidade deste evento tinha a ver com o enorme espaço livre disponível, existente junto ao pavilhão de exposições, ou não estivéssemos numa base militar.

Sucede que, a certa altura, os soldados do RI nº 23 e do RI nº 19 começaram a insistir com o Comandante do GRHMA, no sentido da realização de algumas manobras e treinos de infantaria, para aquecerem os músculos das pernas.

De início, o nosso Comandante mostrou-se renitente e recusou fazer qualquer treino, de molde a evitar que os seus soldados de cansassem demasiado. No entanto, as tropas tanto insistiram nesse sentido que o nosso Comandante, muito a contragosto, acabou por ceder e coordenar a realização de diversos treinos táticos de infantaria, para gáudio dos nossos bravos e valentes soldados.


Sem dúvida que os quase dois mil jovens presentes neste evento, provenientes das mais variadas regiões do nosso país, tiraram o melhor proveito das inúmeras atividades desenvolvidas no decurso do mesmo e sem dúvida também que daqui irão igualmente surgir diversas Ideias Brilhantes, que irão contribuir para o desenvolvimento do Turismo Militar.


Autoria das imagens: Paulinha e APRH.


Pedro Casimiro