Clique na Imagem

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Tourism Train Experiences (2ª Edição): Coimbra, dia 21 de novembro de 2016 - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

Aqui ficam algumas imagens alusivas ao evento recentemente realizado na cidade de Coimbra, promovido pela Universidade Europeia e relativo à promoção e ao desenvolvimento do turismo ferroviário na Beira Alta, que contou com a presença de múltiplos responsáveis governamentais, municipais e universitários, para além de diversas entidades públicas e privadas associadas ao desenvolvimento das mais diversas vertentes do chamado turismo cultural.



O público-alvo deste evento foi, primariamente, o conjunto dos alunos de diversos estabelecimentos universitários associados ao setor do turismo, a quem foram lançadas diversas propostas e desafios relacionados com a promoção e desenvolvimento de projetos turísticos regionais e no interior do país, com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário, enquanto transporte turístico de excelência, na perspetiva do turismo militar, gastronómico, ferroviário, de natureza, universitário, entre outros.


Os desafios que apresentei estavam obviamente direcionados à promoção e desenvolvimento da temática do turismo militar, envolvendo as potencialidades a este nível existentes no concelho de Almeida, bem como em outros concelhos do país com património e tradições associadas ao período histórico das Invasões Francesas, ou Guerra Peninsular, como é o caso dos concelhos envolventes do local onde se realizou a Batalha do Buçaco (Mealhada, Mortágua e Penacova) e dos mais diversos concelhos que integram a chamada Plataforma Intermunicipal das Linhas de Torres (Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Torres Vedras e Vila Franca de Xira).

Nessa perspetiva, foram lançados dois desafios:

a) O primeiro desafio esteve relacionado com a criação de uma rota turística associada à chamada 3ª Invasão Francesa, iniciada no mês de julho de 1810 sob a liderança do Marechal André Massena, que permitiria o desenvolvimento de produtos turísticos de natureza histórico-cultural, envolvendo o concelho de Almeida, passando pela área geográfica envolvente da Batalha do Buçaco e terminando na já existente Rota das Linhas de Torres, com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário.

b) O segundo desafio lançado esteve relacionado com a criação de uma rota turística com uma dimensão internacional e mais abrangente, partindo do concelho de Almeida e envolvendo as mais diversas localidades europeias integradas na rede da Federação Europeia das Cidades Napoleónicas, da qual Almeida é a primeira, e por enquanto a única, localidade portuguesa associada, igualmente com uma dimensão envolvendo o transporte ferroviário.

Além do mais, este segundo desafio teria a vantagem de poder contribuir para o fortalecimento da consciência da participação histórica do povo português em realidades culturais de âmbito transnacional, para além de os eventuais produtos turísticos criados poderem beneficiar de uma instantânea recetividade nos locais de destino, decorrentes da promoção e partilha de um património histórico-cultural comum.


No final da apresentação fui abordado por diversos assistentes, que colocaram um conjunto pertinente de questões relacionadas com os desafios lançados, o que porventura permite antever o nascimento de múltiplas propostas e projetos turísticos a este nível, envolvendo o concelho de Almeida.


Autoria das imagens: Tourism LAB


Pedro Casimiro




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Video Promocional sobre o Concelho de Almeida


Caríssimos(as),

O Concelho de Almeida não para!

E para ajudar a inspirar e despoletar exemplos semelhantes por todo este nosso belíssimo país, associados à preservação e à divulgação do nosso património, das nossas tradições e da nossa cultura quase milenar, aqui fica mais um fantástico VÍDEO PROMOCIONAL para vosso deleite, onde podem ser apreciadas algumas das mais belas jóias existentes no Concelho de Almeida!

É de facto um prazer especial que nós temos, enquanto cidadãos(ãs) e enquanto elementos voluntários do GRHMA, no sentido de podermos de alguma maneira contribuir para este esforço de preservação e de divulgação histórico-cultural promovido pelo Município de Almeida, que nasce da profunda convicção de que se não formos nós - cidadãos e cidadãs portugueses(as) - a fazê-lo, mais ninguém o fará.

Vereis amor da pátria, não movido
De prémio vil, mas alto e quási eterno;
Que não é prémio vil ser conhecido
Por um pregão do ninho meu paterno.
Ouvi: vereis o nome engrandecido
Daqueles de quem sois senhor superno,
E julgareis qual é mais excelente,
Se ser do mundo Rei, se de tal gente.

(Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto I, Instância 10)


Alma até Almeida!


Pedro Casimiro



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Assembleia geral do GRHMA e Almoço de Natal: dia 8 de dezembro de 2016


Caríssimos(as),

Para os mais distraídos, peço licença para recordar que no próximo dia 8-12-2016 está prevista a realização da assembleia geral extraordinária do GRHMA, que se destina, designadamente, a fazer um balanço das atividades desenvolvidas pela nossa associação histórico-cultural no decurso do ano de 2016, bem como a lançar as bases das atividades previstas para o ano de 2017.

À assembleia geral seguir-se-á o nosso tradicional Almoço de Natal, que todos esperamos seja recheado de delícias gastronómicas típicas da Beira Alta!

Cabe ainda recordar que está em causa um evento formal, motivo pelo qual todos os nossos elementos militares devem ser portadores do seu uniforme completo e a brilhar e os elementos civis devem envergar as suas indumentárias típicas do início do séc. XIX.


Pedro Casimiro


sábado, 19 de novembro de 2016

Tourism Train Experiences (2ª Edição): Coimbra, dia 21 de novembro de 2016



Caríssimos(as),

No próximo dia 21 de novembro irá realizar-se, no Centro de Congressos de Coimbra, a segunda edição do evento denominado "Tourism Train Experiences".

Trata-se de um evento da iniciativa da Universidade Europeia, que este ano conta com a colaboração de 3 escolas de hotelaria e turismo portuguesas, do Instituto Politécnico da Guarda, da Universidade de Coimbra e da Universidade da Guarda, entre outras entidades, bem como conta com o apoio do Turismo de Portugal e da CP - Comboios de Portugal.

Está em causa um projeto de dimensão transfronteiriça, com uma incidência especial em temáticas turísticas menos usuais, tais como o turismo militar, gastronómico, ferroviário e universitário, que por sua vez se podem considerar vertentes do chamado turismo cultural.

Este ano e em representação do Município de Almeida, irei apresentar uma comunicação neste evento relacionada com a temática do turismo militar, associada à reconstituição histórica, na perspetiva do trabalho desenvolvido pelo Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida nesta matéria.

Será que o transporte ferroviário, enquanto meio de transporte turístico de excelência, pode servir de meio adicional de promoção e de divulgação quer do património histórico-militar nacional, quer do próprio turismo militar?

Uma resposta possível a esta intrigante questão poderá ser sem dúvida encontrada no próximo dia 21, no referido evento que se irá realizar em Coimbra.


Pedro Casimiro




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Concurso de Ideias "MENTES BRILHANTES para o TURISMO MILITAR", Aveiro, 16-11-2016 - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

Uma vez mais, o prometido foi cumprido! 

Mesmo depois de um ano pleno de múltiplas atividades e de participações em eventos, alguns deles envolvendo deslocações de vários milhares de quilómetros, ainda assim o GRHMA conseguiu reunir cerca de duas dezenas de voluntários, entre elementos civis e militares, a fim de colaborar condignamente nesta iniciativa promovida pelo Ministério da Defesa Nacional, associada à promoção do chamado Turismo Militar.

Este evento, que contou com a presença, designadamente, do Exmo. Senhor Secretário de Estado da Defesa, Dr. Marcos Perestrello, e do Exmo. Senhor Chefe do Estado Maior do Exército, General Frederico Duarte, destinou-se essencialmente a contribuir para despoletar o interesse dos mais jovens pela temática do Turismo Militar, chamando a atenção para as respetivas potencialidades, enquanto fator de crescimento e de desenvolvimento, aos mais variados níveis.




Este evento constituiu, também, uma oportunidade relevantes para chamar a atenção dos inúmeros jovens presentes para os desafios e para os atrativos da profissão militar, com vista a despoletar vocações para o desempenho de algumas das mais nobres tarefas que estão ao alcance de qualquer cidadão(ã), associadas à defesa da Pátria.


Por seu lado, todas as associadas da Associação Napoleónica Portuguesa (ANP) marcaram uma presença relevante neste evento, envolvendo o Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida (GRHMA), a Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro (AMBV) e a Associação Portuguesa de Recriação Histórica (APRH).

Estas associações pretenderam, designadamente, dar a conhecer o trabalho que desenvolvem, em regime de voluntariado, em termos da promoção e da divulgação do património histórico-cultural português, bem como para chamar a atenção para a relevância das reconstituições histórico-militares enquanto fator de atração e de desenvolvimento cultural e turístico.


E aqui podemos ver a fantástica BALISTA que, entre muito outros equipamentos, os nossos amigos da APRH fizeram transportar para este evento e que serviu para fazer interessantíssimas demonstrações de tiro neurobalístico, que muito impressionaram os assistentes.


Os nossos amigos da AMBV trouxeram e colocaram em exposição alguns dos singulares objetos que faziam parte do kit de campanha, usado pelo soldado do início do séc. XIX.


Por seu lado, o GRHMA teve a seu cargo uma exposição relativa ao armamento ligeiro usado pelo soldado de infantaria português do mesmo período histórico, entre os quais se incluíam dois mosquetes Brown Bess, sendo um do modelo "India" e o outro do modelo "Land".


E, como podemos ver na imagem, quem assumiu a responsabilidade pela execução desta tarefa foi o nosso cabo Coelho que, apesar de ainda se encontrar em fase de recuperação de um problema de saúde, mesmo assim fez um esforço no sentido de uma participação e colaboração ativa neste evento, o que é mais um sinónimo da sua dedicação à nossa causa.

Aliás, o Coelho também aproveitou este evento para dar uma explicação ao Comandante do GRHMA, alegando que havia uma dificuldade de natureza doméstica que impedia a colocação das novas insígnias de cabo, no seu uniforme. 

Com a sua sensibilidade habitual, o nosso Comandante telefonou de imediato à Srª D. Fátima Casimiro, esposa do nosso soldado Coelho e apelou à respetiva colaboração no sentido de ultrapassar essa dita dificuldade doméstica e pedir o favor da respetiva ajuda, com vista à colocação dessas insígnias.

O nosso Comandante é de uma bondade extrema...



E por falar em gestos de bondade, é obrigatória uma referência ao trabalho desenvolvido pelas senhoras do nosso departamento civil no decurso deste evento e à generosa colaboração da Câmara Municipal de Almeida, que permitiram a exposição neste evento de uma mesa plena de saborosos e suculentos produtos regionais típicos da Beira Alta, que fizeram as delícias do público presente.

Esta é outra vertente relevante do trabalho desenvolvido pelo GRHMA, associado à promoção e à divulgação da gastronomia típica da região da Beira Alta, criando uma relação de complementaridade entre a promoção e divulgação do património histórico-militar e a valorização e divulgação do respetivo património gastronómico, que constitui um relevante atrativo turístico-cultural.


E aqui temos as nossas amigas Paulinha e Bia, a dar um contributo para a promoção do património gastronómico da Beira Alta, exemplificando algumas das técnicas mais eficazes utilizadas para esvaziar um copo da famosa GINJINHA de Almeida...


E aqui temos mais duas conhecidas senhoras do nosso departamento civil, que se dedicaram a exibir alguns dos trajes típicos do início do séc. XIX. Aliás, este evento contou uma vez mais com um forte contingente de senhoras do departamento civil do GRHMA, demonstrando uma vez mais a dedicação e a relevância destes elementos, para o sucesso desta nossa atividade.


Como sempre, não podia igualmente faltar neste evento uma mesa com diversos folhetos informativos relativos, designadamente, ao concelho e vila Almeida, às Aldeias Históricas e ao GRHMA.

Quem sabe se, à semelhança do Exército, também o GRHMA irá conhecer um afluxo inusitado de novos recrutas, por causa deste evento!


Outra singularidade deste evento tinha a ver com o enorme espaço livre disponível, existente junto ao pavilhão de exposições, ou não estivéssemos numa base militar.

Sucede que, a certa altura, os soldados do RI nº 23 e do RI nº 19 começaram a insistir com o Comandante do GRHMA, no sentido da realização de algumas manobras e treinos de infantaria, para aquecerem os músculos das pernas.

De início, o nosso Comandante mostrou-se renitente e recusou fazer qualquer treino, de molde a evitar que os seus soldados de cansassem demasiado. No entanto, as tropas tanto insistiram nesse sentido que o nosso Comandante, muito a contragosto, acabou por ceder e coordenar a realização de diversos treinos táticos de infantaria, para gáudio dos nossos bravos e valentes soldados.


Sem dúvida que os quase dois mil jovens presentes neste evento, provenientes das mais variadas regiões do nosso país, tiraram o melhor proveito das inúmeras atividades desenvolvidas no decurso do mesmo e sem dúvida também que daqui irão igualmente surgir diversas Ideias Brilhantes, que irão contribuir para o desenvolvimento do Turismo Militar.


Autoria das imagens: Paulinha e APRH.


Pedro Casimiro



quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Cerco de Almeida (Edição 2016) - Video do espetáculo piro-musical (27-8-2016)

video

Caríssimos(as),

Graças à colaboração do nosso sargento Joaquim Guedes, a multidão de seguidores do nosso blog irá ter o especial prazer de visualizar, de uma perspetiva original, o excelente espetáculo piro-musical que se seguiu à grandiosa batalha campal realizada no sábado à noite (dia 27-8-2016), no decurso do Cerco de Almeida, que é simplesmente a maior e a mais arrebatadora recriação histórica alusiva às Invasões Francesas, que anualmente se realiza em toda a Península Ibérica!

Alma até Almeida!


Pedro Casimiro



terça-feira, 1 de novembro de 2016

Concurso de Ideias "MENTES BRILHANTES para o TURISMO MILITAR" - dia 16 de novembro de 2016, no Regimento de Infantaria nº 10, em Aveiro




(fortaleza de Almeida)

(Forte da Graça, Elvas)

Caríssimos(as),
Está prevista a realização, no próximo dia 16-11-2016, de um evento em Aveiro, denominado "Mentes Brilhantes para o Turismo Militar", que irá contar com a participação de todos os grupos de nacionais de recriação histórica, que são associados da Associação Napoleónica Portuguesa.

Trata-se de um evento organizado pelo Ministério da Defesa Nacional, que se destina a contribuir, designadamente, para o desenvolvimento da temática do Turismo Militar, que constitui, por sua vez, uma das vertentes mais importantes do chamado Turismo Cultural.

O Turismo Cultural está associado ao segmento do turismo direcionado principalmente ao desenvolvimento do conhecimento das particularidades, da identidade e dos fatores caraterísticos e distintivos de outros povos, designadamente em termos religiosos e culturais, do passado e do presente. Existem, por outro lado, já diversos estudos, a nível nacional e internacional, onde são feitas referências expressas e detalhadas à relevância do Turismo Cultural, enquanto fator de competitividade, de atração e de diferenciação, relativamente a certos destinos turísticos.

Designadamente na Revisão e Objetivos do Plano Estratégico Nacional do Turismo, para o período de 2013-2015, são feitas referências muito concretas à necessidade de promoção de circuitos culturais que coloquem em destaque os diversos e distintivos elementos do vasto património histórico-cultural português. Em especial, na Resolução nº 24/2013[1] do Conselho de Ministros é feita uma referência específica à necessidade do desenvolvimento do chamado Turismo Militar, na perspetiva da exploração do vasto potencial turístico das diferentes instalações militares nacionais e da valorização do conhecimento da vertente militar da História de Portugal.

Por outro lado, pode definir-se por Turismo Militar o conjunto de atividades de natureza essencialmente cultural, destinadas ou associadas à ativação turística do património histórico-militar nacional, tanto material como imaterial.

A reconstituição histórica, séria e rigorosa, tem uma palavra a dizer, conforme se pode constatar através da evolução a este nível registada no concelho e vila de Almeida, em termos de contribuição para o desenvolvimento de algumas vertentes do Turismo Militar, tendo em conta o valioso e verdadeiramente abrangente património histórico-militar nacional.


Pedro Casimiro





[1] Publicada no Diário da República nº 74, 1ª Série, de 16 de abril de 2013.




"La Sorpresa de Arroyomolinos": dias 28 a 30 de outubro de 2016, Arroyomolinos - Reportagem fotográfica



Caríssimos(as),

No passado final de semana concluiu-se em Arroyomolinos, o nosso ciclo anual das recriações históricas que envolvem a realização de combates, uma vez que se aproximam os rigores do inverno, o qual as nossas tropas preferem enfrentar nas suas casernas e em frente a uma boa lareira.


Este evento contou com a presença de um considerável destacamento português, composto por elementos do GRHMA, da AMBV e da Guerrilha de Montagraço, o qual e como sempre, foi muito bem recebido e acolhido pelos muitos amigos que temos na simpática localidade espanhola de Arroyomolinos.


E aqui podemos ver as duas peças de artilharia portuguesa de campanha que participaram neste evento, que foram recentemente pintadas e remodeladas. Aliás, o nosso amigo Rui Silva, que foi quem fez esse trabalho, fez questão de frisar que não admitia que, no final do evento, as peças de artilharia apresentassem qualquer risco ou mossa na pintura!


Como sempre, as primeiras atividades a executar em qualquer evento têm a ver com a preparação das armas, uniformes e demais equipamento, bem como com a confeção de cartuchos para a infantaria e para a artilharia.


Sendo que, quando os soldados executam essas atividades trabalhosas e complexas, são sempre acompanhados e fiscalizados por alguns elementos do Comando do GRHMA, de preferência sentados à sombrinha, porquanto, como todos sabemos, qualquer tarefa de fiscalização é sempre muito esgotante.



E cá estão algumas das senhoras do chamado departamento civil, que se dedicaram à execução de diversas tarefas no decurso do evento, entre as quais se incluiu a sempre importante distribuição, pelo numeroso público presente no evento, de folhetos promocionais do nosso evento anual de recriação histórica (Cerco de Almeida), bem como de folhetos de divulgação turística do próprio concelho de Almeida.

Esta importante tarefa de divulgação histórico-cultural e turística, que o GRHMA sempre faz em qualquer deslocação realizada em Portugal e no estrangeiro, assinala a relevância da recriação histórica enquanto fator de promoção do chamado Turismo Militar, neste caso associado ao concelho e vila de Almeida.


Como sempre, neste evento realizaram-se alguns animados combates histórico-militares!


Os numerosos destacamentos de cavalaria, por exemplo, cruzavam a seu bel-prazer o campo de batalha, em animadas perseguições...



Os soldados portugueses do GRHMA e da AMBV portaram-se com o seu costumado profissionalismo e valentia, embora desta vez tenham imitado os nossos antepassados da Legião Portuguesa e combatido do lado do Exército Imperial Francês.


Exército Imperial Francês esse, aliás, que neste evento foi liderado pelo Comandante do GRHMA, que através de gestos e de sinais variados, mais ou menos exuberantes, conseguiu fazer-se entender por todas as tropas sob o seu comando.


Aliás, um dos exemplos do bom entendimento que reinava no campo de batalha foram as várias conferências que, no decurso da mesma, se foram fazendo entre o comandante francês e o comandante inglês, uma vez que o general inglês optou por colocar o seu posto de comando junto às árvores e às sombrinhas que existiam do lado francês do campo de batalha.


No entanto, este bom entendimento não impediu a ocorrência de pesadas baixas neste combate!

Um dos primeiros elementos a ser atingido foi o nosso soldado porta-bandeiras Zé Maria, do RI nº 19, que felizmente recuperou prontamente a sua saúde, depois de ser assistido pelo nosso competente corpo de enfermeiras.



Como podemos ver, o Regimento de Infantaria nº 19 foi das unidades que mais baixas sofreu, refletindo o empenhamento e a dedicação destes nossos soldados nos duros combates realizados.


E depois de alguns minutos a morder cartuchos de pólvora, nada melhor de um refrescante copo de água, fornecido por uma simpática aguadeira portuguesa...



Todavia, não foi apenas durante o dia que se ouviram armas e canhões em Arroyomolinos!

A noite também esteve bastante animada, na medida em que, com vista a reproduzir o sucesso ocorrido há cerca de 200 anos atrás, o numeroso Exército Inglês invadiu as ruas da localidade com vista a obrigar à retirada definitiva o Exército Francês.


E foi no decurso destes combates noturnos que assistimos a mais um exemplo da abnegada dedicação e devoção das senhoras do nosso departamento civil, as quais, sem pensarem no seu bem-estar e pensando apenas em apoiar os seus soldados, colocaram-se em plena linha de fogo e dispostas a tudo!

Tanto assim foi que se revelou necessária uma intervenção urgente do Comandante do GRHMA, que só com muita dificuldade conseguiu acalmar o ardor das ardorosas mulheres lusitanas, enxo...xo...xotando-as para um lugar mais seguro...



Como não podia deixar de ser, a dureza dos combates provocou um acentuado desgaste em todos os participantes, que felizmente tinham um local arejado, com todas as comodidades (exceto em espelhos...) e boas condições acústicas, para poderem descansar e recuperar as forças.



Outra das vias mais utilizadas para recuperação das forças implicava fazer sumptuosas e típicas refeições à espanhola, como aquela que podemos ver o nosso amigo João Pina a fazer, que passava por comer uma torradinha quentinha, recheada com ketchup e azeite típico da região...



Havia, porém, algumas refeições que despertavam por vezes sentimentos contraditórios, como aquela que associava farturas a um copinho de café com leite...


No entanto e como sublinhou por diversas vezes o nosso Comandante, toda a alimentação fornecida deveria ser consumida na totalidade, pois um soldado em campanha nunca sabe se ou quando volta a comer!



No final do evento, quer os elementos do Comando dos vários grupos presentes, quer os respetivos soldados e civis participantes, foram agraciados com uma medalha evocativa.


A cerimónia final do evento, realizada junto à sede do Ayuntamiento de Arroyomolinos, nos termos habituais, ficou assinalada por uma descarga geral de mosquetes.


Este evento constituiu não só uma oportunidade para participarmos na promoção e divulgação do património histórico-cultural de Arroyomolinos, como também para revermos e convivermos com bons amigos, que fazem um esforço assinalável no sentido da realização deste evento anual.


Autoria das imagens: Paulinha.


Pedro Casimiro