GRHMA

GRHMA
CLIQUE NA IMAGEM

domingo, 25 de junho de 2017

Apresentação da 1ª Cimeira Mundial de Turismo Militar 2018 (Military Tourism World Summit 2018): Elvas, 23 de junho de 2017


Caríssimos(as),

No passado dia 23 de junho teve lugar na formosa cidade de Elvas a cerimónia de apresentação de um interessante evento com dimensão internacional, que sem dúvida irá contribuir para projetar o Turismo Militar nacional para outras dimensões.

Trata-se da 1ª Cimeira Mundial de Turismo Militar, que se irá realizar em Elvas, no ano de 2018.


Esta cerimónia, que contou com a presença, designadamente, do Sr. Secretário de Estado da Defesa Nacional, do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Elvas e da Srª Subdiretora da Direção-geral de Recursos da Defesa Nacional, entre outras individualidades civis e militares, ficou marcada pela assinatura do Memorando de Entendimento da Cimeira Mundial de Turismo Militar.



Este evento contou ainda com a presença de uma delegação dos nossos camaradas e amigos da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro, que abrilhantaram este evento e contribuiram para divulgar a relevância do movimento nacional associado às recriações históricas das Invasões Francesas, em matéria de promoção do Turismo Militar.

Autoria das imagens: Linhas de Elvas e Notícias de Campo Maior.


Pedro Casimiro





sexta-feira, 23 de junho de 2017

Cerco de Ciudad Rodrigo e Batalha de Fuentes de Oñoro - Reportagem fotográfica (2)

Caríssimos(as),

Como sucede habitualmente , às formaturas e às marchas seguiu-se a parte mais interessante de qualquer evento: os combates histórico-militares!

 

Aqui temos alguns dos nossos camaradas e amigos da AMBV em formação de linha e preparados para o combate!

Os soldados da AMBV aproveitaram este evento para estrearem as suas novíssimas pantalonas brancas, mais apropriadas ao clima do verão, embora a sarja não se propriamente o tecido dotado das melhores propriedades refrigeradoras...




Uma vez mais, o contingente português de infantaria de linha dos R.I. nº 23 e nº 19 esteve à altura das suas responsabilidades, tendo despertado a atenção do público e a admiração dos outros recriadores históricos presentes neste evento, por via da sua qualidade em termos operacionais.



O mesmo tendo sucedido com o nosso contingente de infantaria ligeira, do Batalhão de Caçadores nº 6 e da Leal Legião Lusitana, que esteve integrado num destacamento desta arma que reuniu elementos de outros grupos, sob a responsabilidade do nosso amigo Rob Bissel, que teve igualmente um desempenho de qualidade.


 

Ao contrário daquilo que é habitual, o nosso destacamento de artilharia do R.A. nº 4 foi obrigado a ocupar uma posição de combate estática, destinada a abrir brechas nas muralhas de Ciudad Rodrigo, de molde a permitir o assalto da infantaria, o que se revelou um pouco difícil, devido ao facto de estarem a ser feitos disparos de pólvora seca.

Ficou a intenção...



O assalto às muralhas promovido pelo exército luso-inglês foi duro, mas foi coroado de sucesso!



Os bravos soldados do Exército Imperial Francês fizeram um esforço digno e corajoso, mas não conseguiram evitar que o Cerco de Ciudad Rodrigo conhecesse o mesmo desfecho ocorrido no ano de 1812!



E aqui temos algumas das elegantes e simpáticas senhoras do nosso departamento civil, que apesar de não terem conseguido participar em "combates", como gostariam, deram um contributo muito relevante para este evento!



A nossa amiga Sara, que vemos aqui a aproveitar uma sombrinha, também marcou presença neste evento.


A Polónia fica já mesmo ali ao lado, tendo sido este o motivo pelo qual este evento contou também com a presença de alguns recriadores históricos provenientes desse simpático país, evocando, designadamente, os bravos soldados da Legião do Vístula, que combateram ao lado de Napoleão.
 

E aqui temos um soldado granadeiro, do Exército Imperial Francês, empunhando com orgulho a tão cobiçada bandeira regimental, coroada por uma águia imperial francesa.


Os nossos amigos de Burgos, liderados pelo nosso amigo Diego Gil, também estiveram presentes neste evento, onde marcaram a diferença através do seu habitual rigor e postura marcial.



O nosso amigo Miguel Bonmati também esteve presente neste evento, onde colocou ao serviço das suas tropas a sua reconhecida experiência e competência técnica, enquanto recriador histórico.
 

É mandatória a realização de cerimónias evocativas da memória dos soldados caídos em combate e ao serviço das respetivas Pátrias, em relação a todos os países beligerantes, no decurso deste tipo de eventos, que possui a dupla função de manter viva a respetiva memória e de contribuir para a harmonia entre diferentes povos, de molde a evitar definitivamente o recurso à guerra como via de resolução de conflitos entre diferentes países.


E aqui podemos ver a placa elaborada pelo nosso amigo Rui Silva e representantiva do GRHMA, que foi colocada em local visível, de molde a assinalar a todos os recriadores históricos a localização do contingente português, no decurso deste evento!



Autoria das imagens: variados e muito competentes fotógrafos(as).


Pedro Casimiro







quinta-feira, 22 de junho de 2017

Cerco de Ciudad Rodrigo e Batalha de Fuentes de Oñoro - Reportagem fotográfica (1)


Caríssimos(as),

No passado final de semana teve lugar, conforme previsto, a realização da recriação histórica evocativa do Cerco de Ciudad Rodrigo e da Batalha de Fuentes de Oñoro, que contou com a presença de um considerável destacamento português, civil e histórico-militar.



E, como é habitual, uma das primeiras tarefas que mais agrada aos recriadores históricos, aquando da chegada ao local do evento, está relacionada com a montagem do acampamento histórico!

É de facto um prazer chegar de viagem e passar de imediato a carregar aos ombros as tendas, paus, panelas, mesas e os mais diversos (e numerosos...) acessórios que são necessários à vida dos soldados em acampamento histórico, ainda que por efémeros dias.

E esse prazer é acréscido quando é necessário executar tais tarefas sob temperaturas de 35º a 40º graus centígrados, como sucedeu em Ciudad Rodrigo!

 

O que vale é que depois de um tão ligeiro e pouco exigente trabalho, os nossos soldados tinham à sua espera suculentos e abundantes banquetes de época, cozinhados à fogueira pelas elegantes fadas do nosso departamento civil, como aquele que podemos ver na imagem supra.

Só foi pena que tão principescas refeições tivesse de ser saboreadas sob uma verdadeira canícula, pois pelos vistos alguém se esqueceu de levar os chapéus de sol para este evento...


 

Mas os prazeres dos nossos soldados não se ficaram por aqui!

Outro prazer que todos eles tiveram o gosto especial de saborear, por múltiplas vezes, foi o de fazerem formaturas e inspeções, com o equipamento completo e, uma vez mais e como não podia deixar de ser, sob um sol ameno e suave de cerca 40º graus centígrados.

Mas nem só de formaturas é constituída a vida do soldado, mas também de marchas!

E cá está uma das marchas que foi necessário fazer no decurso deste evento, que se destinou principalmente a permitir o aquecimento dos músculos das pernas dos nossos soldados, em preparação para a previsível escalada das muralhas de Ciudad Rodrigo.


Como é habitual, todas estas tarefas foram sendo desempenhadas pelos nossos soldados histórico-militares sob olhar atento e benevolente dos seus oficiais e sargentos, que tudo faziam para amenizar e minimizar o esforço despendido pelas tropas.


O sono do Alves, a sonhar com as piscinas de Tenerife...


O sono do Mário, a sonhar com os bolsos secretos da sua farda nova...


O sono do António, a ter pesadelos com os acabamentos da peça de artilharia...


O sono do soldado Zé Manel, com sonhos restaurados...

Por motivos que ainda não consegui compreender ou explicar, à primeira oportunidade que dispunham para o efeito, a maioria dos nossos soldados dedicavam-se a fechar os olhos e a cabecear de sono, em pé ou sentados.

Deve existir uma explicação muito simples para este facto, que talvez tenha a ver com o facto de a água distribuída e utilizada durante este evento ser detentora de um elevado teor alcalino.

Autoria das imagens: Paulinha e outros hábeis fotógrafos.


Brevemente haverá mais imagens!



Pedro Casimiro






sexta-feira, 16 de junho de 2017

Evento: "Arouca, História de um Mosteiro: Recriação Histórica" - dias 21 a 23 de julho de 2017



Caríssimos(as),

Aqui fica uma nota relativa a mais um evento interessante, que irá contar, também, com a participação do GRHMA e que está previsto para os próximos dias 21 a 23 de julho deste ano.

O Mosteiro de Arouca, que terá sido fundado no séc. X, constituiu e constitui ainda um dos marcos históricos e culturais centrais e definidores deste concelho, com uma história que atravessa vários séculos. O episódio histórico que irá ser retratado neste evento está associado a acontecimentos ocorridos por altura da chamada Segunda Invasão Francesa de Portugal, ocorrida na primeira metade do ano de 1809, que se caraterizou por um abandono apressado e em pânico do Mosteiro, por parte das religiosas que nele habitavam, à chegada de notícias relativas à proximidade do Exército Francês, cujas tropas eram conhecidas por terem um "afeto" especial por religiosas...

Este ano, porém, estarão presentes neste evento os valentes soldados histórico-militares portugueses do GRHMA e da AMBV, que farão todos os esforços possíveis e imagináveis para salvaguardar e preservar as virtudes das religiosas de Arouca, de eventuais excessos das tropas francesas.

Mais informações acerca deste evento por ser obtidas AQUI.


Pedro Casimiro



terça-feira, 13 de junho de 2017

Evento: Caminhada "Landing Tour": dia 25 de junho de 2017 (Vimeiro)



Caríssimos(as),

Aqui temos mais um interessante evento promovido pela competente equipa do Centro de Interpretação da Batalha do Vimeiro, com a colaboração dos nossos amigos da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro, que se destina a associar o exercício físico e o contato com a natureza à divulgação da História de Portugal!

A este evento está associada a realização de uma caminhada da cerca de 12 km, que permitirá reproduzir alguns dos passos e caminhos percorridos pelo exército inglês, nos dias que antecederam a realização da memorável Batalha do Vimeiro.

Mais informações acerca deste evento podem ser obtidas AQUI.

É mais um evento a não perder!

Pedro Casimiro




quinta-feira, 8 de junho de 2017

Desenvolvimento Transfronteiriço e Turismo Militar - Almeida, dia 14 de junho de 2017 (17.00 horas)



Caríssimos(as),

No próximo dia 14 de junho vai realizar-se na vila de Almeida mais uma interessante iniciativa relacionada com a temática do Turismo Militar, de que o concelho de Almeida é uma das principais referências, a nível nacional e internacional.

Desta vez vai estar em causa a análise de uma dimensão essencialmente académica deste fenómeno, associada à apresentação de projetos neste âmbito, por parte de diversos alunos da licenciatura de Turismo e Lazer, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo.

É de facto importante uma articulação e contributo multidisciplinar, designadamente, de vertentes académicas, culturais e militares, com vista à promoção e desenvolvimento do Turismo Militar, o qual, como todos sabemos, constitui uma das dimensões relevantes do fenómeno mais amplo designado por Turismo Cultural, no âmbito do qual o nosso estimado Portugal pode e deve ter uma palavra a dizer, a nível mundial, tendo em conta a amplitude e a projeção transcontinental das mais variadas dimensões do nosso património, que tem um potencial fantástico em termos de valorização e de conversão do mesmo em fator de desenvolvimento económico, de que tanto carecem as regiões mais periféricas do nosso país.

E um dos méritos que, em meu entender, pode ser reconhecido ao trabalho e à parceria que vem sendo desenvolvida entre o Município de Almeida e GRHMA, nesta matéria, passou precisamente pela evolução e pela conversão do concelho de Almeida de uma região periférica, em termos geográficos, para uma região dotada de notória centralidade, precisamente em matéria de estudo, de promoção e de divulgação do Turismo Militar.


Pedro Casimiro