GRHMA

GRHMA
CLIQUE NA IMAGEM

terça-feira, 3 de novembro de 2015

La Sorpresa de Arroyomolinos (dias 30 e 31 de outubro e 1 de novembro) - Reportagem fotográfica


Caríssimos(as),

A título de confirmação no sentido que este terá sido, muito provavelmente, um dos anos mais trabalhosos de sempre, desde o início da atividade do Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida (GRHMA), realizamos  no passado fim de semana, conjuntamente com os nossos camaradas da Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro (AMBV) e o nosso amigo e sócio honorário Eng. Faria e Silva, mais uma expedição histórico-cultural por terras de Espanha, desta vez para visitar os nossos estimados amigos de Arroyomolinos, a fim de participar no seu evento anual de recriação histórica, promover os concelhos de Almeida e da Lourinhã, e defender as cores nacionais.


Um dos pontos altos deste evento traduziu-se na realização de uma singela, mas muito significativa cerimónia de assinatura de um Protocolo de Colaboração, entre o GRHMA e a AMBV,  destinado a lançar as bases de uma futura e reciprocamente proveitosa colaboração entre as duas associações, na promoção e defesa da História de Portugal e dos concelhos de Almeida e da Lourinhã, em Portugal e no estrangeiro.

Os nossos camaradas de armas da AMBV poderão sempre contar com a lealdade e com o apoio dos elementos do GRHMA, dentro ou fora dos campos de batalha histórico-culturais.


Para variar, e até porque circular sempre em viaturas automóveis também pode ser muito cansativo, as tropas presentes exigiram ao Comandante que fizesse treinos intensivos de marcha, no decurso deste evento, mais uma vez demonstrando que os recriadores históricos alusivos ao séc. XIX nasceram para marchar!


As marchas constantes serviram também para ensinar aos nossos camaradas da AMBV a viciante "canção do capote", que as nossas tropas adoram cantar, no decurso das marchas...



Como habitualmente, o "prato forte" do evento foram os combates!

Nestas imagens podemos visualizar os disparos e os violentos combates corpo-a-corpo, que ocorreram nas ruas na pequena localidade de Arroyomolinos.


A certa altura os nossos soldados de infantaria viram-se de tal modo inundados de inimigos, que foi necessário recorrer ao apoio dos musculosos soldados do Regimento de Artilharia nº 4, para deter o assalto dos adversários.


Na batalha campal de domingo o contingente português ficou colocado no flanco direito do campo de batalha e foi assaltado por um número muito superior de adversários.

Todavia, graças às brilhantes manobras praticadas pelos soldados de infantaria portuguesa (composto pelos RI nº 23, RI nº 19 e LLL), os nossos adversários ficaram com a ideia de que eles é que estavam em inferioridade numérica, pois tanto eram atacados pela esquerda, como pela direita!


A artilharia portuguesa, do RA nº 4, teve superioridade absoluta neste evento, pois nenhuma outra unidade de artilharia teve coragem para comparecer e a enfrentar no campo de batalha.


E aqui temos o nosso frade português de serviço, que comparece nas recriações históricas para "rezar" pela alma dos soldados caídos em combate. No entanto, eu já me apercebi que ele faz algum esforço para "rezar" principalmente pelo rápido eterno descanso dos soldados franceses...vá-se lá perceber porquê...


Aqui podemos ver a Paulinha, a Bia, o Rafael e a D. Armanda, em amena cavaqueira, num dos cafés de Arroyomolinos.

Esta foi a estreia da D. Armanda, em termos de participação em recriações históricas realizadas no estrangeiro, onde prestou um apoio importante aos nossos artilheiros, ajudando a transportar algumas palamentas de artilharia, o que se revelou necessário tendo em conta a ocorrência de algumas "baixas" inesperadas, nos soldados de artilharia inscritos para este evento.


Aqui podemos ver alguns senhores e senhoras da 3ª idade, que frequentam o Lar da 3ª Idade de Arroyomolinos, que se quiseram associar ao evento, mediante a utilização de alguns adereços de época, demonstrando o impacto social que este evento já possui nesta localidade.


Os nossos camaradas do Vimeiro/Lourinhã trouxeram para este evento uma garrafa de uma excelente aguardente, produzida pela Adega Cooperativa da Lourinhã, que é detentora da primeira e única região demarcada do país, para produção de aguardentes.


Aliás, o sucesso desta aguardente foi de tal ordem, entre os recriadores históricos, que foram usadas as mais diversas desculpas para fazer algumas "provas" adicionais deste precioso líquido. 

Acho que até houve alguém que ofereceu trocar o quadrúpede que vemos na imagem supra, por uma garrafa desta aguardente...


O encerramento do evento foi feito na praça da vila, junto ao Ayuntamiento de Arroyomolinos, com a presença e formatura de todas as unidades presentes.


A organização deste evento achou por bem distinguir o contingente português presente nesta recriação histórica (RI nº 23, RA nº 4, RI, nº 19 e Leal Legião Lusitana), convidando o respetivo Comandante a dar a ordem de fogo, na salva final de encerramento do evento.

Ficamos muito reconhecidos por este gesto, pois traduziu-se numa demonstração de estima e de apreço, que são absolutamente recíprocas.



Pedro Casimiro




3 comentários:

  1. Sou um entusiasta dos Regimentos Portugueses do periodo das Invasões Francesas e gostaria de saber distigui-los A artilharia sei que tem penacho preto e infantaria penacho branco, agora as fardas confundem-me, diz que tem Regimento Infantaria 19, 23, LLL e regimento artilharia 4. Não consigo dislumbrar as fardas do LLL e do 23, ajudem-me por favor.
    Cátia Fernandes

    ResponderEliminar
  2. Cara Cátia,
    As unidades (de infantaria e artilharia) portuguesas do início do séc. XIX usavam uma casaca azul. As calças eram tb de cor azul, podendo no entanto ser usadas calças brancas no período de verão.
    A distinção entre as unidades era feita em função das cores dos chamados vivos dos respetivos uniformes, das cores dos "canhões" das mangas e das cores das golas.
    Neste link pode encontrar mais informação a este respeito:
    http://www.arqnet.pt/exercito/uninf806.html
    Só esteve presente neste evento um elemento (feminino...) da Leal Legião Lusitana (LLL), que por acaso não aparece nas imagens, e que possui um uniforme verde.
    Se a Cátia se juntar às fileiras do nosso grupo, de certeza que vai aprender muito mais sobre este assunto, em pouco tempo...
    :-)

    Pedro Casimiro


    ResponderEliminar
  3. Muito obrigado pela informação senhor Pedro, vou estar atenta. Ainda não tenho idade para participar, mas um dia gostaria. Obrigado mais uma vez.
    Cátia Fernandes

    ResponderEliminar