GRHMA

GRHMA
CLIQUE NA IMAGEM

domingo, 4 de setembro de 2016

XII Recriação Histórica do Cerco de Almeida - Reportagem video-fotográfica(5): Acampamento histórico (dia 27-8-2016)


Caríssimos(as),
Outra vertente importante do Cerco de Almeida, em termos de divulgação histórico-cultural, teve a ver com o conjunto de atividades que se desenrolaram em torno do acampamento histórico, que este ano foi uma vez mais montado no baluarte de S. Francisco.


O nosso amigo Miguel Guedes esteve de serviço numa das tendas de comercialização dos mais diversos objetos e peças de equipamento em uso no início do séc. XIX. 


Nesta tenda e por uma módica quantia, foi possível adquirir um conjunto de peças e acessórios únicos, que provavelmente não estão disponíveis no centro comercial mais próximo...


O nosso sargento Joaquim Guedes, por seu lado, instalou no acampamento histórico uma mesa, para divulgação de um dos seus temas favoritos: a artilharia e a pirobalística do início do séc. XIX 


Este nosso camarada é o orgulhoso detentor de um conjunto de réplicas de equipamentos únicos neste âmbito, todos eles feitos de raiz e mediante utilização de materiais de época e por ele próprio, depois de aturadas investigações bibliográficas e em museus histórico-militares.


Já as senhoras do departamento civil do GRHMA também deram o exemplo, em termos de trabalho feito no acampamento histórico! Aqui podemos ver algumas das nossas amigas numa das tendas de acesso livre ao público, retratando as peças e os acessórios de uso corrente em Oitocentos.


Outra oficina importante, existente do acampamento histórico, foi a barbearia (de época)!

Na imagem supra podemos ver alguns dos instrumentos associados ao ofício de barbeiro do início do séc. XIX, o qual, como (quase...) todos sabemos, também exercia funções de "cirurgião" (quando acompanhava os exércitos), quando a necessidade o impunha.

Estes magníficos objetos de época foram gentilmente cedidos ao GRHMA pelo nosso amigo Faria e Silva.


No entanto, a parte mais importante de um acampamento histórico-militar são, como não pode deixar de ser, os soldados!


E nesta matéria quem deu o exemplo foram os nossos camaradas franceses, das diversas unidades que integram a Garde Chauvin, da qual podemos ver na imagem supra alguns dos respetivos oficiais.


Obviamente que a melhor maneira de começar o dia no acampamento histórico-militar passa pela realização da formatura matinal! 

Esta costuma ser a parte do dia que mais agrada a qualquer soldado que se preze, em que ele tem de se levantar bem cedo da cama, vestir o seu uniforme e envergar todo o seu equipamento de combate, para inspeção pelos oficiais, sempre sujeito às simpáticas repreensões dos seus oficiais, quando alguma peça está fora do sítio.

É um dos verdadeiros prazeres da vida de soldado...



Por isso é que, por via de regra, os soldados que se prezam fazem todos os esforços para manter todo o seu equipamento alinhado e operacional.


E a peça de equipamento cujo "alinhamento" e mais necessário manter é o mosquete, que no caso dos franceses é o mosquete Charleville, modelo 1777, corrigido em 1800 ou ano IX (de acordo com o chamado calendário repúblicano francês).

Por isso é que na imagem supra podemos ver vários soldados franceses no ato de limpar e olear os seus mosquetes, de molde a garantir a respetiva operacionalidade (o que, em média, implica conseguir fazer 3 disparos, em 6 tentativas...)


E depois deste trabalho extenuante, nada como uma boa soneca, de preferência à sombrinha, mas sempre com o mosquete por perto, não vá suceder apetecer ao "inimigo" fazer um ataque de surpresa...


Os nossos camaradas espanhóis (Associacion de Recreacion Historico Cultural de Asturias), que neste caso recriam uma unidade militar britânica (42nd Regiment of Foot/Royal Highland, conhecido por Black Watch) também deram o exemplo e mostraram como se trabalha no acampamento histórico.

Claro está que, usar umas saias amplas e bem arejadas, como historicamente sucedia com os soldados britânicos deste regimento e que também são usadas por estes nossos amigos, facilita a realização de qualquer trabalho...


Aqui podemos ver estes nossos camaradas com o seu equipamento completo (saias incluídas...).


O acampamento histórico serviu, também, de parque da artilharia!


Nestas imagens podemos ver os nossos amigos do 8.º Regiment d'Artillerie a Pied, que nos brindaram com a sua presença neste evento, juntamente com a sua peça de artilharia de grande calibre, que fez um verdadeiro sucesso neste evento!

Estes nossos amigos alemães fizeram uma viagem com a duração de 3 dias (sem contar com os 3 dias necessários para o regresso a casa...), acompanhados da sua peça de artilharia, a fim de poderem participar neste evento.

Bem haja pela vossa presença!


As maravilhosas peças de artilharia do GRHMA também "aparcaram" no mesmo parque de artilharia, mas num lugar especial, mais arejado e com muita sombrinha, para não se estragarem, de acordo com instruções expressas nesse sentido, dadas pelo nosso cabo de artilharia António Guedes.


E aqui podemos ver o nosso cabo de artilharia, do Regimento de Artilharia nº 4, a verificar se as suas instruções relacionadas com o "aparcamento" das peças de artilharia estavam a ser devidamente cumpridas...


Na verdade, todo o cuidado é pouco, quando se toca a cuidar das nossas lindas meninas!

Aqui podemos ver um close-up de uma das nossas lindas meninas (chamada "IGP"), com destaque para as armas reais em relevo, de D. José I.


Na imagem supra podemos ver dois dos nossos camaradas artilheiros da Brigada Naval de Artilharia e Guerra (Associação Portuguesa de Recriação Histórica), no seu turno de limpeza e de acompanhamento de uma das nossas meninas (lindas...).


Autoria das imagens: Paulinha, Fernando, Histoarts e Carlos Marques.


Pedro Casimiro






Sem comentários:

Enviar um comentário